pour toujours

31.1.12

No One Can Find The Rewind Button ♥



O barulho das botas no asfalto fê-la acordar dos seus devaneios. Sentia-se gelada. Entrou num dos poucos cafés que ainda estavam abertos àquela hora. O café estava vazio, à excepção de um homem sentado ao balcão a beber um copo de uísque. Sentou-se numa mesa e pediu um café. Não conseguia tirar os olhos do homem do balcão. Algo na sua postura a atraía. Quando lhe foram dar o café, ele levantou-se. Ia a sair, quando os seus olhos se encontraram. Eram de um azul profundo. Embora soubesse que era falta de educação, não conseguia desviar o olhar do dele. Apenas naquela fracção de segundo, consegui ver-lhe a alma. Conseguiu ver-lhe todo o sofrimento, todas as mágoas. E pareceu-lhe ver também um ar convidativo. Como se ele lhe estivesse a pedir conforto. "Estás louca!", pensou, quando ele saiu para a rua. 
Levou a chávena aos lábios cuidadosamente pintados de vermelho. O café, forte e sem açúcar, como sempre, queimou-lhe a garganta. Bebeu-o lentamente, como se esperasse descobrir um novo sabor, por entre todos aqueles que já conhecia. 
Quando acabou o café, deixou-se estar ali sentada, a observar as paredes. Directamente à sua frente, estava pendurado um quadro de uma paisagem. Ao lado, um relógio grande e dourado, marcava 01:05 da manhã. 
Alguém lhe tocou no braço. "Menina, tem de sair. Vamos fechar". Levantou-se, pagou o café e saiu. 
Assim que pôs um pé fora da porta, levantou o olhar e vi-o. O homem do balcão. Ela parou. Ele avançou. Olhou-a nos olhos. Ela viu novamente aquele ar convidativo. Aspirou o seu perfume. Era maravilhoso. Deixou-se inebriar por ele. Ele agarra-a, sorri, e beija-a.
Ela nunca tinha sido beijada assim. Com tanta loucura, tanto desejo. Puro desejo. Explorou a boca dele e descobriu novos sabores, novas tentações. Ele largou-a finalmente, e disse "Vem comigo. Anda comigo. Não preciso de saber o teu nome. Não precisas de saber o meu. Vem só". Ela via o quão imprudente aceitar a proposta dele poderia ser, mas, que se dane! Só por uma noite, queria ser livre de fazer o que lhe apetecesse, e céus!, como lhe apetecia fugir com ele para o fim do mundo. Ela acena que sim com a cabeça, e vão juntos, de mãos dadas para um destino indefinido. Essa indefinição acaba por levá-los até a um quarto de hotel. 
Nesse quarto, ela descobriu cada milímetro dele. Deixou que as suas mãos fortes a protegessem. Deixou que ele a amasse. E deu-lhe tudo de si. Assim como ele lhe deu tudo aquilo de que era feito. Ela viu-se reflectida nos olhos dele, e em todos os momentos que partilharam, deixou com ele uma parte si, para que ele nunca a esquecesse. Para que, numa madrugada fria, ele se sentasse no balcão de um café, com um copo de uísque na mão e pensasse nela, a desejasse de novo. E para que percebesse que ao agarrá-la, ao tocá-la, ao amá-la e ao senti-la daquela maneira, lhe tinha devolvido toda a liberdade, e por isso mesmo, nunca mais a iria ter. 

22 comentários:

silver disse...

que texto lindo, meu deus! <3

silver disse...

siiim, está perfeito!

silver disse...

meu anjo, és linda sim <3
e escreves super bem!

sophia disse...

obrigada e é nisso que eu acredito ou pelo menos, tento acreditar :)

silver disse...

os teus comentários são os mais reconfortantes <3

nicolemorais disse...

está simplesmente fantástico. quando escreves sobre outras coisas, sobre histórias,a tua imaginação floresce como uma flor na primavera. e que lindas palavras escreveste, meu amor <3

nicolemorais disse...

obrigada por me ajudares na arrumação, princesa. obrigada!
é, já faltou muito, muito mais! :)
palavras muito bonitas, as always <3 amo-te.

nessa disse...

eu não desisto :)
muito obrigada mesmo pelas tuas palavras. nestes momentos é sempre algo muito importante e é sempre bom saber que se precisar de alguma coisa tenho mais alguem com que contar <3 <3

Blair disse...

obrigada :))

Andreia' disse...

Oh obrigada mesmo do <3. Eu acho que não querida! :s Eu simplesmente adorei este texto *o* Escreves mesmo bem, está lindo! Vou seguir-te princesa (:

P. disse...

(;

Jullieta disse...

oh minha doce, obrigada a sério

também sigo c:

anaf. * disse...

não tens de agradecer *-*

Aurora disse...

Obrigada pela força linda. Também estou aqui e que belo texto <3

Aurora disse...

não linda mas espero que fique <3

Patrícia Martins disse...

sim, espero o mesmo :p

EBA ☮ disse...

O que achas do "novo blog"? $:

Patrícia Martins disse...

E espero que o teu ano também esteja a ser bom. Caso contrário, espero que ele melhore :p

Patrícia Martins disse...

sim, vais ver que sim (:

EBA ☮ disse...

Talvez ...

Aurora disse...

Vai ficar tudo bem princesa linda. Obrigada <3

Emilie Lorena disse...

Fiquei completamente rendida a este texto. Escreves tão bem!