pour toujours

2.11.15

But At Least We'll Both Be Beautiful


Queria abraçar-te em todos os momentos em que te sentes só. Gostava de ter o poder de te consolar e de te acalmar em qualquer segundo do teu dia. Queria passar os meus dias debaixo da tua aura, a viver como se lá fora não chovesse torrencialmente. Queria o calor da nossa cama e o conforto da nossa cozinha. Se pudesse viver o resto da minha vida nos teus braços, sei que viveria feliz. Até porque a minha maior felicidade é ter-te comigo. Até porque me orgulho ainda mais do que imaginas da nossa relação e do tempo. Dos dias que vão passando e de como eu ainda encontro algo novo em ti para amar. E do tempo. Do tempo que eu ainda despendo todos os dias para simplesmente olhar para ti. Para olhar para ti quando tu achas que estou concentrada noutra coisa. Para olhar para ti quando estás simplesmente a tentar encontrar as minhas bolachas favoritas ou aquelas batatas fritas que sabes que eu gosto. Podia passar uma vida inteira a observar-te. Gosto da forma como semicerras ligeiramente os olhos quando estás muito concentrado em alguma coisa. Ou como o teu lábio inferior vai descaindo sem tu dares conta enquanto vês televisão. Gosto de como, mesmo a dormir, procuras o meu corpo e mesmo de olhos fechados o conheces de cor. Gosto de quando me sentes a estremecer ou a respirar fundo me apertas com mais força. Com a força exata para afastar todos os maus pensamentos de mim, daquela forma e com aquele jeito que só tu sabes fazer. Acima de tudo, gosto tanto de te saber de cor! E gosto que me saibas de cor também. Gosto de nós. Das nossas parvoíces, dos dias inteiros que passamos a falar com um sotaque brasileiro parvo, de todas as vezes em que dizemos um "amo-te" espontâneo. Por isso, olha, amo-te! E amo-te com todas as letras, com o maior e melhor significado do mundo. Amo-te, amo-te, amo-te!

3 comentários:

nicolemorais disse...

Gosto de vocês ❤

Blue disse...

Que amor tão lindo!

Owlonmars disse...

Como adoro ler estas coisas!