pour toujours

6.6.15

I Can See My Baby Swinging


Vou escrever-te infinitas prosas que nunca espero entregar-te. Vou escrever-te até que os dedos me doam e até que os olhos me falhem. Vou escrever-te até que o dicionário se acabe, até que todas as palavras tenham o significado do teu nome. Vou escrever até à perfeição, como aquela que o teu olhar me transmite e os teus lábios me sorriem. Vou esperar eternamente cansar-me de ti e sei que tal não vai acontecer. Vou conhecer todos os teus trejeitos, todas as tuas expressões e cada recanto de ti. Não vou esperar nada menos. Não vou querer nada menos. 

1 comentário:

umpoucodemim disse...

E esse nada menos é tão perfeito!