pour toujours

16.7.12

When The Rain Is Pouring Down ♥


Sinceramente, sinto-me perdida no meio de todos os vocábulos existentes no mundo. Já não sei escrever sem destinatário. As cartas fazem parte de mim, e o sujeito abstracto ou omisso assusta-me. Como se as minhas palavras não valessem nada. Como se o esforço que faço para exprimir fosse lixo, como eu outrora me senti, e às vezes sinto. É uma fobia bizarra, admito, mas tem a sua razão de ser. Tenho medo de ser esquecida, embora muitas vezes queira passar despercebida. E pelo meio da minha mais alta discrição, há sempre um suspiro uns decibéis  acima do normal que faz notar ao Mundo a minha presença. Avisa as partículas cósmicas que existo e que aqui estou, pronta para não estar. 
Continuo a escrever, mas ainda acho que as minhas palavras não serão recordadas por nenhuma alma. E não, não quero que me digam "eu vou sempre lembrar-me das tuas palavras, quero sempre ler-te mais", porque eu sei que isso saiu agora das vossas bocas para me fazer sentir melhor, e não é isso que quero. Não quero lembrar-me que procuro a compaixão com a mesma força com que fujo dela. 
É. Acho que já compreenderam que sou um ser complexo, que não se decide nem sabe o que quer. Acho que fiquei assim quando a coisa que mais queria no Mundo me fugiu por entre os dedos. Se fechar os olhos, ainda consigo reviver esse momento. Com todas as cores, todos os cheiros e todas as palavras proclamadas para ouvidos moucos. 
Afinal, descobri que tenho tanto de infeliz como de feliz. Tanto de abandonada como de acompanhada. Afinal descobri que vivo, mesmo morrendo. E estou mal assim. É, estou bem assim.

22 comentários:

Margarida disse...

adoro, mas estás mesmo bem? queria tanto escrever como tu!

Margarida disse...

compreendo o teu estado de espírito :)) acredita que é doce, acredita

@lice B. disse...

que palavras, espero que fiques bem :$
se quiseres, participa no meu passatempo :D

Margarida disse...

gostas? obrigada! qual é o teu nome mesmo?

@lice B. disse...

obrigada querida, era mesmo isso :D

Margarida disse...

tão querida :)) olha, foi o que saiu ahah

Margarida disse...

mas diz-me, que segredos para esta escrita maravilhosa escondes?

Margarida disse...

as tuas palavras do comentário, de certo modo, deixaram-me a pensar e vou publicar qualquer coisa sobre isso :))

Anα C . disse...

Sinto-me tal e qual tu :||
Será que dá para me dares teu email ? :|||

Cláudia Ribeiro. disse...

Um dos erros que mais se comete, é usar alguém para esquecer outro alguém. Ele é rapaz, tem um orgulho um pouco maior do que o teu, depende dos rapazes mas normalmente é assim. E ele pode não querer admitir isso e querer divertir-se. Sim claro, podes contar.

Anα C . disse...

Já fiz pedido no msn , no fb não encontro :|

nicolemorais disse...

"Afinal descobri que vivo, mesmo morrendo. E estou mal assim. É, estou bem assim." - só Viver, nunca morrer. Estar bem e não mal. Ser FELIZ, apenas. E embora a tua escrita se tenha alterado, continua maravilhosa. E mesmo sendo complexa, és linda e eu amo-te <3

Margarida disse...

sim, claro

addy ♥ joão disse...

amei o texto, asserio!

Inês Geraldes disse...

Oh, obrigada! Como o teu <3

addy ♥ joão disse...

nao tens de agradecer!
aii aserio? :$ nao acho que esteja nada de especial :x

Margarida disse...

já publiquei linda :))

addy ♥ joão disse...

e é isso que eu quero mostrar, o que sinto!

addy ♥ joão disse...

fico feliz por isso :')

Margarida disse...

obrigada *

nicolemorais disse...

Oh, tão linda, obrigadaaa!
Sim, tenho a certeza que vão conseguir mudar também. Para melhor. Para que possas ser feliz.
Isso vai acontecer, e quem sabe, quando deres por ti já não terás essa dor de lembrar em ti, e possas sorrir com as coisas que te faziam lembrá-lo.
Pronto, tens desculpa, não tinhas como falar comigo até te meter exausta...Mas quero-te bem, independentemente de teres muito tempo para pensar, tens de evitar esses pensamentos ao máximo. Tu és forte.
Amo-te <3

caroline pipi disse...

espero que isso seja uma coisa boa :')